Cair de maduro é para fruta


Em comemoração ao dia 24 de junho, dia mundial de prevenção de quedas, proponho para esse mês refletir sobre o assunto.

Muitos aspectos podem ser responsáveis por ocasionar uma queda, principalmente em idosos, sendo esses relacionados à ambiência e ergonomia, uso de dispositivos de marcha em má conservação ou ajustes, patologias, entre outros.

A avaliação sobre os principais fatores que podem possibilitar quedas deve começar na rotina de atividades de vida diária e dentro do domicílio. O que posso observar? Vamos fazer um tour juntos dentro de sua casa? Ao levantar durante a noite deve-se ter atenção a iluminação noturna, pois essa pode ser um facilitador para uma queda em uma ida ao banheiro, queda essa que poderá ser evitada quando providenciado um interruptor próximo a cama ou uma luz de vigília. A altura da cama e densidade do colchão também devem ser observados, além disso, destaco que o uso de medicamentos podem contribuir para a queda quando provocam alterações em padrão de vigília e atenção, assim como a acuidade visual diminuída. Ao chegar no banheiro podemos encontrar mais vilões para quedas como tapetes de retalhos sem antiderrapantes, na dificuldade em se abaixar para utilizar o vaso sanitário, opte por um assento elevado e instale barras de apoio que devem também contemplar a área do box próximo ao chuveiro. Cabe ainda destacar que o piso do banheiro como um todo deve ser preferencialmente antiderrapante para segurança. Na sala de estar note se os fios de seus aparelhos estão próximos às tomadas, se tapetes dificultam a circulação ou formam aquelas famosas “orelhas” e dentre as mobílias prefira os sofás mais altos e firmes. Entre os acessos aos ambientes ou andares da casa pode-se deparar com escadas, instale em escadas corrimão de ambos os lados, fita antiderrapante nos degraus e interruptores para luz no início e final. Já na cozinha opte por colocar objetos que são utilizados mais vezes em altura de fácil acesso, e não adote comportamentos de risco como subir em bancos, cadeiras ou escadas. Os pets podem ocasionar queda quando soltos dentro de casa, principalmente quando estiver realizando atividades como cozinhar, passar roupa, lavar louças ou limpar a casa. Não podemos esquecer dos dispositivos de marcha, esses quando não são escolhidos adequadamente com o aval de profissionais capacitados ou em má conservação. Destaco ainda que o cuidado com a possibilidade de quedas deve ser estendido para as áreas externas, uma vez que as calçadas muitas vezes estão em má conservação, sapatos inadequados e cuidado com higiene dos pés tornaram a deambulação ainda mais insegura. Ademais, as consequências de uma queda podem envolver lesões, torções, fraturas, hospitalização e até mesmo diminuição da independência e atrelado ao medo de cair podem aumentar a probabilidade de uma nova queda.

Por fim, o projeto “cair de maduro é para fruta” de Teresina - PI me inspirou a intitular essa publicação e escrever sobre o tema.

GABRIELA DE CARVALHO

É Gerontóloga, escreve na coluna de Gerontologia do BLOG GERATIVIDADE toda primeira semana do mês.

gabrielacgerontologa@gmail.com

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square