NOVEMBRO AZUL


Arquivo Geratividade

Iniciamos novembro com o pé direito e discutindo um assunto com grande impacto e incidência na saúde dos homens. As mulheres que me desculpem, mas hoje eles são o centro de nossa atenção.

Culturalmente e estatisticamente sabemos que os homens acabam frequentando com menos frequência às consultas médicas com o intuito de prevenção e promoção de saúde, e acabam aderindo o cuidado quando já possuem um quadro de saúde crônico ou agudo. Os homens justificam tal distanciamento segundo MEDEIROS, 2013 fundamentado em sentirem sua virilidade abalada, não encontrarem homens na assistência e cuidado, assim como a impaciência com o tempo de espera para atendimento nas unidades de saúde.

Com a intenção de minimizar essas barreiras e o distanciamento do homem com seu próprio cuidado e a criação e implantação de ações de inclusão do homem, foi lançada em 2009 a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem (PNAISH). A PNAISH, anexa a essa publicação, apresenta como um de seus pontos principais a importância de prevenção do câncer de próstata, assunto principal desta publicação e que é abordado nacionalmente no mês de novembro por meio da campanha “novembro azul”.

O câncer de próstata é o segundo câncer mais prevalente no Brasil, um em cada seis homens desenvolverá o câncer, porém se diagnosticado precocemente tem 90% de chances de cura segundo ARTTAN ET AL 2015.

Vale a pena destacar que o câncer de próstata muitas vezes tem manifestação silenciosa, mas pode ser facilmente detectado por meio de exames periódicos como: toque retal realizado pelo urologista e a dosagem do antígeno prostático específico (PSA), exame coletado a partir de amostra de sangue.

Recomenda-se rotina anual para homens com mais de 50 anos junto ao médico urologista, assim como a adoção de hábitos de vida saudáveis, exercícios e alimentação balanceada.

Muitos receios e dúvidas também giram em torno dos fatores de riscos para a doença e tratamento da doença. Podemos elencar como fatores de riscos a genética, ou seja, a chance de ter a doença caso possua alguém da família que já teve ou tem é maior, a idade também é um fator de risco, por isso é recomendado o cuidado principalmente a partir do 50 anos e novamente há grande contribuição dos hábitos de vida diário. Por fim, e não menos importante, destaco que o tratamento é muito singular para cada caso diagnosticado.

A GerAtividade também apoia essa causa! Um toque pela vida: Novembro Azul! Previna-se! Cuide-se! Cuide da pessoa mais importante…VOCÊ.


Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem (PNAISH): http://portalsaude.saude.gov.br/index.php/o-ministerio/principal/secretarias/sas/daet/saude-do-homem

Gabriela de Carvalho

GABRIELA DE CARVALHO

É Gerontóloga, escreve na coluna de Gerontologia do BLOG GERATIVIDADE toda primeira semana do mês.

contato: gabrielacgerontologa@gmail.com

Posts Em Destaque
Posts Recentes